Pesquisar este blog

codigos blog

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Seguidores e seguidos!

Critérios para Diagnóstico do Autismo

 

Quiz autismo / Asperger

Use este teste para ajudar a determinar 
se você pode precisar consultar um profissional de saúde mental para o diagnóstico 
e tratamento de autismo ou síndrome de Asperger.
_________________________

Instruções: Esta é uma medida de triagem para ajudar a determinar se você pode ter um transtorno do espectro do autismo (incluindo transtorno de Asperger). Este questionário de triagem não é projetado para fazer um diagnóstico ou tomar o lugar de um diagnóstico profissional ou consulta. Por favor, tome o tempo para preencher o formulário abaixo com a maior precisão, honesta e completa possível. Todas as suas respostas são confidenciais.


_________________________



Definitivamente Agree Concordo um pouco Discordo um pouco Definitivamente Discordo
1 Eu prefiro fazer as coisas com os outros ao invés de por minha conta.
2 Eu prefiro fazer as coisas da mesma maneira uma e outra vez.
3 Se eu tentar imaginar algo, acho que é muito fácil criar uma imagem em minha mente.
4 Eu freqüentemente se tão fortemente absorvida em uma coisa que eu perder de vista outras coisas.
5 Eu sempre aviso pequenos sons quando os outros não.
6 Eu costumo observar as placas do carro número ou seqüências similares de informação.
7 Outras pessoas freqüentemente me dizem que o que eu disse é falta de educação, embora eu acho que é educado.
8 Quando eu estou lendo uma história, eu posso facilmente imaginar o que os personagens possam parecer.
9 Sou fascinado por datas.
10 Em um grupo social, eu posso facilmente manter o controle de várias conversas de diferentes pessoas.
Definitivamente Agree Concordo um pouco Discordo um pouco Definitivamente Discordo
11 Eu acho situações sociais fácil.
12 Tenho tendência a perceber detalhes que os outros não.
13 Eu prefiro ir a uma biblioteca do que para uma festa.
14 Acho inventando histórias fácil.
15 Encontro-me atraído mais fortemente para as pessoas do que às coisas.
16 Eu tendem a ter interesses muito forte, que eu fico chateado se eu não posso prosseguir.
17 Gosto de bate-papo social.
18 Quando eu falo, nem sempre é fácil para os outros para obter uma palavra edgewise.
19 Sou fascinado por números.
20 Quando eu estou lendo uma história, acho que é difícil trabalhar as intenções dos personagens.
Definitivamente Agree Concordo um pouco Discordo um pouco Definitivamente Discordo
21 Eu particularmente não gosto de ler ficção.
22 Acho que é difícil fazer novos amigos.
23 Percebo padrões nas coisas o tempo todo.
24 Eu prefiro ir ao teatro do que para um museu.
25 Ele não perturbar-me se minha rotina diária é perturbado.
26 Eu freqüentemente acho que eu não sei como manter uma conversa.
27 Acho que é fácil de "ler nas entrelinhas" quando alguém está falando comigo.
28 Eu geralmente se concentrar mais em toda a imagem, em vez de os pequenos detalhes.
29 Eu não sou muito bom em lembrar números de telefone.
30 Eu não costumo observar pequenas alterações em uma situação ou a aparência de uma pessoa.
Definitivamente Agree Concordo um pouco Discordo um pouco Definitivamente Discordo
31 Eu sei como dizer se alguém está me ouvindo está ficando entediado.
32 Acho que é fácil de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo.
33 Quando eu falo no telefone, eu não tenho certeza de quando é minha vez de falar.
34 Gosto de fazer as coisas espontaneamente.
35 Muitas vezes sou o último a entender o ponto de uma piada.
36 Acho que é fácil de trabalhar fora o que alguém está pensando ou sentindo só de olhar para sua cara.
37 Se houver uma interrupção, eu posso voltar ao que eu estava fazendo muito rapidamente.
38 Eu sou boa em bate-papo social.
39 Muitas vezes as pessoas me dizem que eu continuo indo sobre e sobre a mesma coisa.
40 Quando eu era jovem, eu gostava de fazer brincadeiras envolvendo fingindo com outras crianças.
Definitivamente Agree Concordo um pouco Discordo um pouco Definitivamente Discordo
41 Eu gosto de coletar informações sobre as categorias de coisas (por exemplo, os tipos de carros, aves, trens, plantas).
42 Acho que é difícil imaginar o que seria como ser outra pessoa.
43 Eu gosto de planejar cuidadosamente todas as atividades que eu participar pol
44 Eu gosto de ocasiões sociais.
45 Acho que é difícil trabalhar as intenções das pessoas.
46 Novas situações faz-me ansioso.
47 Gosto de conhecer novas pessoas.
48 Eu sou um bom diplomata.
49 Eu não sou muito bom em lembrar data de nascimento das pessoas.
50 Acho que é muito fácil de jogar jogos com as crianças que envolvem fingindo.


Resultados de seu
autismo / Quiz Asperger Triagem

RESULTADOS
Se você marcou ...

34 -Autismo provavelmente
30 a 33 autismo Possível
0 a 29 Não autismo
fonte:http://psychcentral.com/quizzes/autism.htm



CRITÉRIOS PARA DIAGNÓSTICO DO AUTISMO (CID-10) (WHO 1992)
Pelo  menos 8 dos 16 itens especificados devem ser satisfeitos.
a.  Lesão marcante na interação social recíproca, manifestada por pelo menos  três dos próximos cinco itens:
1. Dificuldade em usar  adequadamente o contato ocular, expressão facial, gestos e postura  corporal para lidar com a interação social.
2. Dificuldade no  desenvolvimento de relações de companheirismo.
3. Raramente procura  conforto ou afeição em outras pessoas em tempos de tensão ou ansiedade,  e/ou oferece conforto ou afeição a outras pessoas que apresentem  ansiedade ou infelicidade.
4. Ausência de compartilhamento de  satisfação com relação a ter prazer com a felicidade de outras pessoas  e/ou de procura espontânea em compartilhar suas próprias satisfações  através de envolvimento com outras pessoas.
5. Falta de reciprocidade  social e emocional.
b. Marcante lesão na comunicação:
1.  Ausência de uso social de quaisquer habilidades de linguagem existentes.
2.  Diminuição de ações imaginativas e de imitação social.
3. Pouca  sincronia e ausência de reciprocidade em diálogos.
4. Pouca  flexibilidade na expressão de linguagem e relativa falta de criatividade  e imaginação em processos mentais.
5. Ausência de resposta emocional  a ações verbais e não-verbais de outras pessoas.
6. Pouca utilização  das variações na cadência ou ênfase para refletir a modulação  comunicativa.
7. Ausência de gestos para enfatizar ou facilitar a  compreensão na comunicação oral.
c. Padrões restritos, repetitivos  e estereotipados de comportamento, interesses e atividades,  manifestados por pelo menos dois dos próximos seis itens:
1.  Obsessão por padrões estereotipados e restritos de interesse.
2.  Apego específico a objetos incomuns.
3. Fidelidade aparentemente  compulsiva a rotinas ou rituais não funcionais específicos.
4.  Hábitos motores estereotipados e repetitivos.
5. Obsessão por  elementos não funcionais ou objetos parciais do material de recreação.
6.  Ansiedade com relação a mudanças em pequenos detalhes não funcionais do  ambiente.
d. Anormalidades de desenvolvimento devem ter sido  notadas nos primeiros três anos para que o diagnóstico seja feito.
DSM-IV
Os mais atuais critérios de diagnóstico da DSM-IV até o momento,  que ilustram as características do indivíduo autista, são:
Importante:
As  informações a seguir servem apenas como referência. Um diagnóstico  exato é o primeiro passo importante em qualquer situação; tal  diagnóstico pode ser feito apenas por um profissional qualificado que  esteja a par da história do indivíduo.
CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO DO  AUTISMO
A. Um total de seis (ou mais) itens de (1), (2), e (3),  com pelo menos dois de (1), e um de cada de (2) e (3).
1. Marcante  lesão na interação social, manifestada por pelo menos dois dos  seguintes itens:
a. Destacada diminuição no uso de comportamentos  não-verbais múltiplos, tais como contato ocular, expressão facial,  postura corporal e gestos para lidar com a interação social.
b.  Dificuldade em desenvolver relações de companheirismo apropriadas para o  nível de comportamento.
c. Falta de procura espontânea em dividir  satisfações, interesses ou realizações com outras pessoas, por exemplo:  dificuldades em mostrar, trazer ou apontar objetos de interesse.
d.  Ausência de reciprocidade social ou emocional.
2. Marcante lesão  na comunicação, manifestada por pelo menos um dos seguintes itens:
a.  Atraso ou ausência total de desenvolvimento da linguagem oral, sem  ocorrência de tentativas de compensação através de modos alternativos de  comunicação, tais como gestos ou mímicas.
b. Em indivíduos com fala  normal, destacada diminuição da habilidade de iniciar ou manter uma  conversa com outras pessoas.
c. Ausência de ações variadas,  espontâneas e imaginárias ou ações de imitação social apropriadas para o  nível de desenvolvimento.
3. Padrões restritos, repetitivos e  estereotipados de comportamento, interesses e atividades, manifestados  por pelo menos um dos seguintes itens:
a. Obsessão por um ou mais  padrões estereotipados e restritos de interesse que seja anormal tanto  em intensidade quanto em foco.
b. Fidelidade aparentemente inflexível  a rotinas ou rituais não funcionais específicos.
c. Hábitos motores  estereotipados e repetitivos, por exemplo: agitação ou torção das mãos  ou dedos, ou movimentos corporais complexos.
d. Obsessão por partes  de objetos.
B. Atraso ou funcionamento anormal em pelo menos uma  das seguintes áreas, com início antes dos 3 anos de idade:
1.  Interação social.
2. Linguagem usada na comunicação social.
3.  Ação simbólica ou imaginária.
C. O transtorno não é melhor  classificado como transtorno de Rett ou doença degenerativa infantil.

Preste atenção


Estas mudanças comportamentais são comuns em autistas, mas não é necessário que a criança apresente todas para ter a doença. O inverso também vale: uma criança que tenha alguns não é necessariamente autista. O importante é ver a freqüência com que acontecem e procurar um médico. Quem dá o diagnóstico é o especialista.


- Apresentam alteração no sono
- Têm hábitos alimentares seletivos, com restrição à consistência
- Não olham na mesma direção que os outros
- Não se jogam no colo da mãe quando ela estende os braços, por exemplo
- Mexem os dedos em frente aos olhos
- Têm aversão ao contato físico e tendência a se isolar
- Podem ter hipersensibilidade auditiva
- Não gostam de ambientes com muita gente
- Usam outras pessoas como ferramentas, como pegar a mão de alguém para abrir a porta
- Cometem auto-agressão
- Objetos que produzam movimentos repetitivos captam a atenção, como ventiladores

Ter um filho autista não é culpa dos pais. Mas é preciso estar atento, já que, quanto mais cedo a doença for diagnosticada, melhor
Quanto mais cedo a doença é detectada, mais possibilidades a criança tem de se desenvolver. Por conta disso, a comunidade científica tem como objetivo especificar as causas da síndrome e reduzir o diagnóstico para 1 ano de idade. Pesquisadores do Instituto Kennedy Krieger, em Baltimore, nos Estados Unidos, avaliaram bebês do 14º ao 36º mês e descobriram que ao menos metade das crianças com autismo poderia ser reconhecida no primeiro ano de vida.


O que faz desse processo uma batalha é a complexa estrutura da doença, um transtorno definido pela presença de desenvolvimento anormal ou parcial da interação social e pelos problemas de comunicação, além da presença de um comportamento restrito e repetitivo. O autismo não tem uma causa definida, podendo ser desde uma inflamação que ocorre no sistema nervoso do feto durante a gravidez, ainda sem explicação científica, até a herança genética. Neste caso,os traços do autismo podem estar em vários membros da família. A doença, em alguns pacientes, também é acompanhada de outra síndrome associada, como Down ou X-frágil.


A única certeza é que os pais não têm culpa do filho ter nascido autista. Quando a doença foi descoberta, a psicanálise culpava a família pelo transtorno. Diziam que era o modo de vida e a maneira como cuidavam da criança que causava o autismo. A ciência descobriu, depois, que essa não é uma doença psicológica.


Sem um diagnóstico clínico preciso, é difícil saber a quantidade de autistas no mundo. No Brasil, por exemplo, fala-se em 170 mil. Mas os números são subestimados. Calcula-se que 1 milhão de brasileiros tenha algum grau da doença, que possui dezenas de subtipos. É esse grau que determina que habilidades uma pessoa com autismo conseguirá desenvolver quando estimulada. Segundo os especialistas, 30% das crianças terão um bom desenvolvimento intelectual, podendo entrar na faculdade, conseguir emprego, dirigir. A escola regular, no entanto, não vai ser a melhor opção em todos os casos porque a criança autista precisa de atenção especial. A decisão pelo tipo de colégio, ou até por aulas particulares, deve ser tomada pela família em conjunto com o médico.